glossario textil

Posted by luis 20/07/2016 0 Comment(s)

GLOSSÁRIO 
A
    

Acetato:
    
Fibra artificial a base de celulose, obtida por processo semelhante ao da viscose, utilizada como substituta da seda natural, o consumo do acetato é reduzido, especialmente no caso de aplicações têxteis. Embora apresentando características gerais similares às da viscose, não reage bem aos processos normais de tingimento, exigindo a utilização de técnicas especiais. Suas maiores aplicações estão na produção de filtros para cigarros, rendas, cetins e material de estofamento.  
Acrílico ou Poliacrílico:
    
Fibra Sintética que embora sendo a menos consumida dentre as fibras químicas têxteis, o acrílico, por suas características, ocupa espaço próprio no setor de confeccionados têxteis como o melhor substituto da lã. A matéria prima é acrilonitrilo (cianeto de vinila) que pode ser obtido a partir do amoníaco, propilenos e oxigênio.
Albene:
    
Tecido para vestuário produzido com fio de acetato opaco. Algodão: fibra natural de origem vegetal procedente do algodoeiro. O tecido a base de algodão detém melhor capacidade de absorção de umidade é adequado para o clima brasileiro, quente e úmido. A transpiração do corpo é mais bem absorvida quando se usa tecido com algodão em sua composição. Características: macio e confortável; durável; resistente ao uso, à lavagem, à traça e insetos; lava-se com facilidade; tem tendência a encolher e a amarrotar; atacado por fungos; queima com facilidade; não resiste a produtos químicos;Limite de umidade: Não mercerizados:  8,5%;  Mercerizados: 10,5%. Aplicações: Confecção, tecidos para uso doméstico, tecidos profissionais.
Algodão:
    
Nome genérico utilizado para denominar qualquer tipo de tecido cru ou alvejado, geralmente com ligamento sarja, feito com fibras de algodão. Alpaca: tecido barato de algodão ou viscose empregado em forros de roupas. Originário de tecido antigo, fino e brilhante, que era produzido com fios dos pelos da Alpaca. Os tecidos e os vestidos são sempre realizados por especialistas e artistas de muito bom gosto, ditando a moda para o mundo inteiro.

    

B
    

Baeta:

    
Tecido felpudo normalmente feito de lã.
Bailarina: 

    
Tecido de malha de poliamida texturizada, de gramatura média.
Batavia:
    
Ligamento sarja 2/2, denomina-se, também, tecido de lã para uso masculino com este ligamento, muito divulgado pelos lanifícios.
Batik:
    
Tecido muito antigo de algodão estampado e produzido na Índia e Indonésia. Atualmente, ainda muito utilizado, ele é estampado com o processo à cera e após pintado a mão, o que lhe confere uma característica original e delicada.
Batiste:
    
Tela fina, semelhante a cambraia, e transparente de linho, de algodão ou mista com acabamento firme (inventor: Jean Baptiste Chambray - século XIII), muito utilizado para blusas, lenços, lingerie e sub vestimentas.
Bayadère:
    
Tecido onde os desenhos formam listras brilhosas, cor ou aspecto diferentes no sentido da trama. Hoje, o efeito  bayadère pode ser obtido pelos desenhos e através de fios de cores, brilhos ou torções diferentes.
Botonê:
    
Tecido fantasia, com efeito de coco ralado, produzido com fio fantasia do mesmo nome e que têm pequenas bolas de fibras enroladas.
Bouclê:
    
Tecido, com efeito fantasia de laçadas, resultando numa textura crespa, produzido com fio fantasia do mesmo nome, que é um fio retorcido onde aparecem laçadas e nós, resultando uma textura crespa, o nome origina-se da palavra francesa "boucler" que significa encaracolar.
Brim:
    
Tecido forte com desenho em sarja,  de algodão. Ele se assemelha ao coutil, jeans, denim. Atualmente é muito utilizado além de confecção (calças, bermudas, uniformes, etc.), para decoração, toalhas de mesa, guardanapos, fundo de palco, etc.
Brocado:
    
Tecido, com desenhos em relevo realçados por fios de ouro ou de prata, origina-se da palavra francesa "broucart" que significa ornamentar. 

    

C
    


    

Cala:

    
Abertura formada por duas camadas de urdume.
Calandra:
    
Máquina composta basicamente por dois cilindros de aço aquecidos no qual o tecido passa para obter diversos tipos de  tratamentos, para dar brilho, alisar, fechar porosidades, encorpar (usando resinas), e obter outros tipos de efeitos.
Camayeux:
    
Chamamos duas cores em "camayeux", quando elas são da mesma cor porém com intensidade ou tom diferentes.
Cambraia ("Batiste"):
    
Tecido de algodão ou linho leve, com desenho tafetá, para camisas e blusas finas, semelhante ao Batiste. Nome originado da cidade de Cambraia, França. A cambraia de lã é um tecido mais pesado em ligamento sarja com fios de cores contrastantes no urdume e na trama, usado para ternos.
Canela: 
    
Pequeno canudo ou bobina em que se enrola o fio para a tecelagem.
Canvas:
    
Tecido pesado de algodão em ligamento tela, usado para calças tipo jeans.
Carda:
    
Instrumento constituído de um banco ao qual se apóia uma espécie de grande pente com dentes de madeira, compridos e bastante próximos, e que serve para desembaraçar o cânhamo, o linho, a lã, o algodão, etc.
Casa de Abelha:
    
Tecido com desenho fantasia à base de pequenos losangos, efeito obtido através de maquineta que alterna as flutuações de urdume e de trama, provocando um aspecto que imita o alvéolo da abelha.
Casimira:
    
Tecido encorpado de lã, usado em geral para vestuário masculino (calças, coletes, etc.).
Celulose:
    
Polímero natural encontrado nos vegetais e constituído pela polimerização da celobiose, substância branca, fibrosa, usada na fabricação de papéis.
Challis:
    
Tecido produzido com viscose fiada, originário da Índia; significa em Hindu de toque agradável.
Chamalote:
    
Tecido furta-cor em que a posição do fio produz um efeito ondeado, o mesmo que "Moiré", também chamado o tecido de pêlo ou de lã, em geral com mistura de seda.
Chamoix :
    
Tecido em qualquer matéria-prima, mas principalmente de algodão, que recebe um tratamento de acabamento tipo flanelagem, com navalhagem, dando-lhe um aspecto que imite um pouco o veludo e a pele de camurça.
Changeant (Camaleão):
    
Tecido que tem por característica aparentar mudança de cor, semelhante ao Furta-Cor.
Chenille:

    
Tecido felpudo de algodão, usado para colchas e roupões.
Chevron :
    
Também conhecido como "Espinha de Peixe", desenho à base de ligamento sarja, onde o efeito diagonal se forma em sentidos contrários, em faixas determinadas.
Chiffon:
    
Origina-se na palavra francesa que significa trapo. Trata-se de tecido muito fino e transparente de seda ou de fibras químicas (normalmente poliéster ou poliamida), com fios com grande torção e resistentes. É um tecido aberto, o que lhe dá  transparência. Utilizam-se fios retorcidos, usualmente dispostos de forma alternada , um fio com torção no sentido S e outro em sentido Z, tanto no urdume quanto na trama.
Chintz:
    
Tecido de algodão, muito leve, tafetá, estampado com acabamento firme e brilhante,com calandragem muito utilizado em decoração de ambientes.
Chita :
    
Tecido simples de algodão ou misto estampado em cores.
Cirrê :
    
Acabamento com calandra, destinado a dar um aspecto muito liso e brilhante ao tecido. Também conhecido como laqueamento.
Cloquê:
    
Tecido  tipo piquet, de seda, raiom, ou algodão, com efeito de alto relevo produzido por fios de crepe ou fios de encolhimento elevado.
Coenização:
    
Tratamento de colagem de dois tecidos , sendo um sobre o outro, destinado a evitar o esgarçamento, dar um melhor caimento (mais encorpado) e substituir o forro do vestido, durante a sua confecção. Por esse motivo, em geral no avesso, é colado um tecido leve ou em jersey, do tipo forro.
Contextura:
    
Densidade dos fios e das tramas em qualquer tecido, calculada em fios ou batidas por centímetro, ou por polegada.
Cós:
    
Tira de pano usada para arrematar certas peças de vestuário, especialmente as calças e as saias, no lugar em que cingem a cintura.
Cotelê:

    
Listas em relevo, e rasas, que se alternam.
Cotton:
    
Palavra em inglês que define algodão, bem como fio, fibra ou tecido de algodão.
Crepe:
    
Fio - Torção dada a diversos fios como: seda, lã, algodão, viscose, poliéster. Essa torção é bastante elevada: 2000 a 3500 v/m, conforme o título. Ela provoca um encolhimento do fio durante o tingimento, dando ao fio e ao tecido um aspecto opaco, granulado e um toque seco. A torção crepe aumenta o título do fio de 10 a 35%, proporcionalmente ao título e a torção.
Cru:
    
Nome genérico dado a tecidos, geralmente de algodão, com aspecto rústico, que não foram submetidos a processos de beneficiamento, além da purga.
D
    

Damasco:
    
Tipo de tecido , normalmente com ligamento cetim, encorpado, de uma só cor, com fundo fosco e desenhos acetinados, que era usado em trajes de aparato e, atualmente, em estofos de luxo.
Dégradé:
    
Tecido com listras ou barras, onde o efeito de cor muda de tonalidade, gradativamente de escura para clara (até branca) e depois recomeça identicamente. Em geral é feito a partir de uma só cor. Este efeito é geralmente obtido com fios tintos ou na estampagem.
Délavé:
    
Processo de lavagem estonada com aplicação de clareamento e alvejante químico, deixando o tecido com um visual mais macio que o simples estonado.
Denim:
    
Tipo de coutil ou jeans , antigamente fabricado na cidade de "Nimes", na França. Em geral, urdume Azul Índigo (foi utilizado para as velas no veleiro de Cristóvão Colombo, durante sua viagem de descoberta das Américas).
Desenho (Armação, Construção ou Ligamento):
    
Traçado que permite planejar o entrelaçamento dos fios de urdume e de  trama, para realizar qualquer tecido. É feito sobre um papel especial quadriculado e depois realizado no tecido através da "Maquineta de Desenho".
Devorê:
    
Tecido que apresenta desenhos com efeitos de transparência, produzido a partir de um tecido com fio celulósico binado com um fio de fibras sintéticas, estampado com produto corrosivo que destrói a fibra celulósica.
Dicron:
    
Malha de stretch, elaborada com microfibra e elastano que garantem a maciez e a elasticidade da peça. O diferencial deste produto é o brilho discreto obtido através do uso de um fio iridescente que emite pequenos pontos de luz com o movimento e a incidência da luz sobre a peça.
Drap:
    
Tecido de lã ou lã mista com seda, pesados e utilizados para uniformes, ternos, calças, casacos, etc. Semelhante a casimira.
Dry Fit:
    
Conceito utilizado para definir o tecido feito com poliamida e elastano, ou seja, o Suplex que, devido a sua estrutura e a titulagem do fio, proporciona um conforto propício para peças de esporte que exigem uma alta capacidade de transpiração.

    

E
    

Enfestado:
    
Diz-se do tecido dobrado ao meio, no sentido da largura, e assim enrolado na peça. Chama-se o lado da dobra do tecido enfestado de "festo" e as bordas de "ourelas".
Engomagem:
    
Técnica utilizada para conferir ao fio maior resistência, que consiste na aplicação de uma solução colante natural ou sintética. Geralmente usada na fabricação de tecidos com fios singelos.
Entretela:
    
Tecido que se mete entre o forro e a fazenda de uma peça de vestuário, para lhe dar consistência, ou uma boa queda, ou para torná-la armada, sua aparência é de um morim bastante engomado.
Enzime Wash:
    
Lavagem que confere aspecto "envelhecido" ao tecido com bom toque. Consiste em uma lavagem enzimática de 60 minutos a 40º C, depois passa por um processo de amaciamento.
Escocês:
    
Tecido com ligamento tafetá ou sarja, de qualquer matéria prima, cujos fios são tintos em várias cores para produzir  um efeito de xadrez de diferentes tonalidades, ou seja, uma mistura de listras e barras de tamanhos e cores idênticas. Este  tecido tem por origem, a Escócia, onde cada família nobre, chamada de clã, tinha um tecido, em geral de lã, representativo do  nome ou da região. O aspecto xadrez do tecido era distinto e representativo para cada família. Atualmente este tecido é  também obtido com estampagem. Por analogia este tecido é também chamado de xadrez.
Esmerilagem:
    
Tratamento do tipo flanelagem, porém mais leve. A máquina lixa ou poli o tecido e, por esse motivo, o nome de esmeril, ou lixadeira.
Espinha de Peixe:
    
Tecido com ligamento sarja quebrada, resultando num efeito zig-zag semelhante às espinhas de peixe.
Estampagem:
    
Processo muito antigo, destinado a valorizar o aspecto de qualquer tecido. Foi iniciado na China e Egito, com pintura a mão e depois na Índia, Pérsia, etc.
Estofo ("Étoffe"):
    
Nome genérico para qualquer tipo de entrelaçamento de fios, destinado a produzir um superfície plana, fluída e usada para o vestuário e o lar (tecido, malha, renda, bordado, tule, veludo, crochê, tricô, tapeçaria, feltro, etc.).       Denominação também usada para tecido grosso, encorpado, em geral lavrado,  usado especialmente para decoração, geralmente utilizado para forrar sofás, cadeiras, etc. e para reposteiros. Algodão, lã ou outros materiais que se utiliza para acolchoar cadeiras, sofás, etc.
Estonagem:
    
Processo de lavagem do artigo em tambores que levam junto, as pedras de argila, chamadas de "Sinasitas" Durante a lavagem as pedras entram em atrito com o artigo deixando-o com um aspecto "batido", mais "usado". Oferece-se também o aspecto um pouco desbotado e amaciado.
Étamine:
    
Tecido fino e telado, geralmente de algodão, usado em bordados de fios contados, como o ponto cruz.
Etano:
    
Hidrocarboneto saturado, gasoso, incolor e inodoro, fórmula: C2H6 .
Eteno (Etileno):
    
Hidrocarboneto não-saturado (Insaturado), gasoso, incolor, fórmula: C2H4
Evasê:
    
Do francês “évasé” diz-se da peça de vestuário que se alarga para baixo, em forma de cone.
Extrusão:
    
Consiste em pressionar a resina, em forma pastosa, através de furos finíssimos numa peça denominada fieira. Os filamentos que saem desses furos são imediatamente solidificados. Esse processo é denominado fiação, embora o termo, nesse contexto, pouco tenha a ver com a fiação tradicional da indústria têxtil.

    

F
    

Façonné:

    
Nome francês do tecido jacquard.
Faille:
    
Tecido fino e macio, ligamento tafetá, urdume seda, acetato ou poliéster, trama schappe, algodão, lã, sempre mais grossa, para produzir um efeito canelado.
Faillete:
    
Variação mais fina do faille com desenho tafetá, de seda, acetato ou poliéster, utilizado geralmente para forro. Ver:Tafetá e Tafetá Alpaseda.
Felpa:

    
Pêlo saliente nos tecidos.
Feltro:
    
Tecido resultante do entrelaçamento de fibras de lã ou similares, através da ação combinada de agentes mecânicos e produtos químicos.
Festo:
    
Dobra que se faz em pano largo, enfestado, ao meio de sua largura e em toda a sua extensão, para o enrolar em peça. Diz-se também da largura duma peça de pano, dum tecido qualquer.
Fiação:
    
Processo final de transformação das fibras em fio. Com exceção da seda, todas as fibras naturais têm um comprimento limitado bastante definido. O objetivo da fiação é transformar as fibras individuais em um fio contínuo coeso e maleável.
Fibra Cortada:

Leave a Comment